Jornal da Educação - JE ISSN 2596-223X - online -

Jornal da Educação-JE ISSN 2237-2164   impresso

De onde vem?

Cataram os Cátaros

 

Tendo defendido meu doutorado em História Social – Idade Média, pela USP há exatos 10 anos, sempre vejo pessoas querendo vir fazer grandes comentários comigo a respeito da era Medieval. O mais comum deles é “Mas naquelas épocas a Igreja Católica mandava em tudo” ou “Naquela época tinha uma igreja só, hoje em dia em cada esquina tem uma igreja diferente separada das outras” ... e aí preciso explicar um pouquinho mais da época.


Está muito longe da verdade acreditar que na Idade Média só existia uma religião ou que havia um incontestável poder do Papa. Lembrar da inquisição medieval já ajuda a quebrar essa ideia, mas ainda assim é muito comum que as pessoas sempre pensem em inquisição ligadas as bruxas (praticantes de religiões antigas) enquanto o foco da inquisição medieval todo sempre foi outro: os hereges.


Pra começar a Igreja não tinha um poder incontestável mesmo em nível de grandes religiões. A separação da Igreja Católica com a Igreja Ortodoxa já tinha sido uma grande cisão, chamada de Grande Cisma do Oriente. Mas a Igreja Católica chegou a ter a sua sede movida oficialmente para a França por cerca de um século, o Papado de Avignon, e depois parte dos cardeais queriam fazer a volta da capital para Roma e outros manterem em Avignon.


Isso criou o Grande Cisma do Oriente, onde duas igrejas católicas existiram com sedes em cidades diferentes por algumas décadas. Na verdade situações onde dois ou três papas governaram acusando o outro de ser “anti papa” eram bem comum na Idade Média. Mas ainda podem alegar que na prática de alguma forma ainda eram contestações da mesma vertente religiosa, disputas por poder ... portanto, quero apresentar para vocês os Cátaros.


Não se sabe ao certo quando surgiram, mas algo por volta de 1090 e 1150. Em uma interpretação da bíblia alguém (que não se sabe quem) chegou a conclusão de que havia algo de errado ali.


O Deus do antigo testamento, com toda a fúria, pestes no Egito, destruição de uma cidade inteira em Sodoma, transformando a mulher em estátua de sal só porque deu uma espiadinha, fazendo um dilúvio que destruiu quase toda a humanidade, massacrando inimigos com fogo do céu, mandando Abraão matar o filho (ainda que tenha impedido de última hora), que este ser tão cruel não poderia ser de forma alguma o mesmo Deus do novo testamento.


Jesus era tão calmo, falava de paz, de amor ao próximo, resumia os mandamentos em apenas dois, amor ao próximo e amor a Deus, quebrava regras como mandar os discípulos trabalharem no sábado e tocar em leprosos.
Então assim surge uma nova religião partindo da bíblia (ou ao menos de uma parte dela) a de que na verdade haveriam dois deuses, um Deus do Mal, que criou o mundo e a humanidade apenas para o servir, que destruía quem se voltasse contra ele, e um Deus do bem, Jesus.


Cada qual tendo escrito o seu próprio livro sagrado que a Igreja Católica, de forma equivocada, teria unido tudo em uma mesma bíblia.


Para esses, os Cátaros, todo o mundo era mau, afinal foi criado pelo Deus mal, então todo ouro prata, luxo material, riquezas, poder, tudo isso era do mau. E como a Igreja católica da época deles tinha amplos poderes e riquezas então eles só poderiam ser a igreja do Deus mau, falariam de Jesus as vezes apenas para disfarçar, enquanto os Cátaros, é que seriam os que passando a enxergar isso começariam a cultuar apenas a Jesus e o novo testamento. Como se não bastasse essa ideia já tão oposta ao tradicional eles foram ainda mais longe.


Na bíblia apenas fala que Deus criou o ser humano do barro e soprou, colocando a alma dentro dele. Mas ao criar Eva não fala que soprou de novo uma nova alma.
Então, acreditavam que havia uma “alma masculina” e uma “alma masculina” cada qual habitando o corpo correspondente. Mas sim que Deus, que era neutro (nem homem nem mulher) e os anjos que eram neutros, também as almas de todos eram neutras, independente de estarem habitando um corpo masculino ou feminino.


Portanto homens e mulheres tinham exatamente a mesma capacidade mental, mereciam o mesmo status na sociedade e o mesmo respeito. Pregando a extrema igualdade de gênero eles chegaram a ter várias vezes mulheres na liderança.

 
Quando a Igreja Católica, em 1209, resolveu fazer uma cruzada contra eles (que levou mais de 30 anos para ser vencida e teve reis apoiando os cátaros, os católicos em várias vezes escreviam cartas ao papa espantados de como entre os Cátaros (também chamados de Albigenenses já que Albi era sua principal cidade).


As mulheres eram encontradas com muita frequência entre os soldados ou operando máquinas de guerra como bestas, catapultas e balistas.


Imagine como seria o mundo hoje caso fossem os Cátaros que tivessem vencido a guerra....