Jornal da Educação - JE ISSN 2596-223X - online -

Jornal da Educação-JE ISSN 2237-2164   impresso

Histórias da Educação

Pedagogia Freinet

Devido às suas ressonâncias na educação do tempo presente, a Pedagogia Freinet vem se disseminando cada vez mais no Brasil. Em meados deste ano, a pedagoga Denise Furtado defendeu o seu trabalho de conclusão de Curso (TCC), na UDESC, sob o título “Pedagogia Freinet e sua atualidade: implicações práticas no ensino”. Trata-se de uma pesquisa bibliográfica elaborada a partir de diferentes obras acerca da experiência educativa de Célestin Freinet, sendo comunicada por meio de um texto claro e fluente. Não por acaso, a banca julgadora atribuiu nota máxima a este trabalho acadêmico.

O TCC de Denise Furtado escolheu três práticas freinetianas (definitivamente centrais!) para a sua reflexão pedagógica, quais sejam: o texto livre, o trabalho colaborativo e o jornal escolar. A primeira prática é o ponto de partida da Pedagogia Freinet, ou seja, o momento em que a criança tem liberdade para expressar suas ideias e aprender a organizar as mesmas de forma compreensível por meio da escrita. O texto livre nasce de um desejo individual da criança, de uma curiosidade ou intenção de exprimir algo. Em boa medida o texto livro se contrapõe ao trabalho impositivo dos professores e dos manuais escolares, apostando nos interesses dos alunos.

O trabalho colaborativo um pilar fundamental na Pedagogia Freinet, pois constitui uma forma de organização em que os alunos da classe têm voz e voto, em que há divisão das tarefas e em que cada um tem espaço. É uma estratégia que motiva a autonomia e a responsabilidade individual e coletiva, onde cada indivíduo é complementar aos outros. Neste momento, o professor tem uma função fulcral de mediador da ação educativa que não se confunde com o laissez-faire educativo. O trabalho colaborativo quebra a centralidade conferida ao professor pela pedagogia tradicional, bem como estimula relações mais horizontais entre educador e educandos.

O jornal escolar é uma prática específica desenvolvida por Freinet, que ficou mundialmente conhecida pela sua eficácia no processo de aprendizagem. O jornal escolar é criado a partir dos textos livres escolhidos pela classe, que são melhorados e modificados pelas crianças com o auxílio do professor e dos colegas. Trata-se de é uma proposta que busca estimular os alunos a escreverem com base em seus interesses e desejos. Esta prática pedagógica pode estimular a correspondência escolar, ou seja, a troca de periódicos entre escolas, que foi realizada pela escola animada por Freinet.

De outra parte, nos próximos dias 16, 17 e 18 de setembro (das 19h às 22H) será realizado, no Centro de Ensino a Distância da UDESC, o Curso “A Pedagogia Freinet entre herança e transformações”, ministrado pelo professor doutor Laurent Gutierrez (Université Paris Nanterre), especialista no movimento da Escola Nova e na Pedagogia Freinet. Este curso será dado em francês, mas com tradução para a língua portuguesa; e será realizado no Centro de Ensino a Distância (CEAD) da UDESC, mas com transmissão online pela endereço: vc.udesc.br

Enfim, a leitura do TCC de Denise Furtado e a participação do curso do professor Laurent Gutierrez são oportunidades singulares de aprofundar o estudo em torno da Pedagogia Freinet.