O COLÉGIO DO CASAL MOSCONI

Imprimir
No livro "O Tempo dos Ginásios" (Editora Mercado de Letras), Ana Laura Tridapalli escreveu um capítulo intitulado "Bons cristãos e virtuosos cidadãos: estratégias disciplinars aplicadas pela congregação marista no Ginásio Aurora (1938-1945)". Nesse texto ela reflete historicamente sobre o Ginásio Aurora, localizado em Caçador (Santa Catarina), durante o Estado Novo, quando ele era dirigido pelos Irmãos Maristas - congregação católica francesa que se estabelecera no Brasil desde o final do século XIX.
No mês passado, Ana Laura defendeu, no Programa de Pós-Graduação em Educação da UFSC, a dissertação de mestrado "'O sacerdócio sublime do magistério': o Colégio Aurora de Caçador (1928-1938). Nesse novo estudo, a autora coloca o foco sobre a fundação e a primeira década de funcionamento do Colégio Aurora, momento em que ele esteve sob a batuta pedagógica do casal de italianos Dante e Albina Mosconi. Essa dissertação de mestrado tem relevância na historiografia da educação catarinense por diversos motivos.
Em primeiro lugar, pelo fato de a fundação do Colégio Aurora ser parte integrante da expansão do ensino secundário catarinense, ocorrida entre o final da década de 1920 e, especialmente, no decênio seguinte. Na Primeira República, em Santa Catarina, havia somente um estabelecimento de ensino secundário, mas, em meados da década de 1930, os ginásios já estão disseminados em sete cidades catarinense, entre as quais Laguna, Joinville e Lages. Além de implantar o curso ginasial, o casal Mosconi criou no Colégio Aurora uma escola normal, que é um fato relevante.
Em segundo lugar, a criação do Colégio Aurora numa região escassamente habitada do Vale do Rio do Peixe foi uma ousadia de Dante e Albina Mosconi. Ana Laura mostra, de forma clara e apaixonada, que a instituição desse colégio pelo casal Mosconi contribuiu, decididamente, para a criação do município de Caçador. A imagem da imponência do colégio, construído de madeira, no meio da paisagem marcada por pinheirais é emocionante e fala mais do que mil palavras - como diziam os chineses.
Por fim, é importante destacar a proposta pedagógica impressa pelo casal Mosconi na cultura escolar do Colégio Aurora. Os professores desse colégio eram estimulados se comportar segundo a Pedagogia Moderna, que desestimulava a simples memorização em favor da compreensão e reflexão do conhecimento. Nesta direção, o ex-aluno mais célebre do Colégio Aurora, Raymundo Faoro, afirma: "Fiz os estudos básicos com um casal dono de uma escola particular da região, que tinha uma perspectiva moderna para a época e até para os nossos dias de hoje: proibiam terminantemente que os alunos decorassem qualquer coisa, exigiam comentários pessoais das leituras que fazíamos". Ademais, o casal de italianos ministrava aulas de educação sexual, de forma que a professora Albina orientava as meninas/adolescentes mulheres e o professor Dante aconselhava os meninos/adolescentes homens.
Por isso, acredito que vale a pena conhecer a dissertação "O sacerdócio sublime do magistério", de Ana Laura Tridapalli, que faz uma leitura instigante da experiência educativa no Colégio Aurora sob a direção do casal Dante e Albina Mosconi.