Jornal da Educação - ISSN 2237-2164

Data limite para submissão de artigos para 2ª Edição do JE Caderno Científico é 25/11/18
O JE Caderno Científico -  Os artigos, resenhas e relatos de experiência podem ser enviados até 25 de Novembro de 2018. A primeira edição da revista digital catarinense circulará em agosto de 2018, sob a coordenação cientifica do professor Doutor Norberto Dallabrida. A segunda edição no início de... Leia Mais
Voto de brasileiros é procuração com deveres e direitos plenos
  Em poucas semanas, as eleições para presidente, governadores, senadores e deputados serão coisa do passado. Exatamente como aconteceu nas demais eleições na história do país, o ‘amor adolescente’ do brasileiro pela democracia infante chega a seu auge junto com a contagem dos votos das urnas... Leia Mais
MALAFAIA, BEIJO GAY E O AMOR ENTRE DAVI E JÔNATAS
Silas Malafaia está de novo furioso com a TV Globo. O motivo é o beijo gay entre dois atores masculinos, exibido na novela “Orgulho e Paixão”. Religiosos fundamentalistas como Malafaia são contra a homossexualidade porque a Bíblia e a Igreja a condenam. “Ah, não sou fundamentalista, MAS, acho... Leia Mais
ELEIÇÕES E ENSINO MÉDIO
  Os dados do SAEB e IDEB publicados recentemente confirmam que o ensino médio é a etapa frágil da educação básica. Essa avaliação é verificada há no mínimo duas décadas, e os governos não deram respostas adequadas para revertê-la. Em Santa Catarina os índices do SAEB e IDEB são menos piores... Leia Mais
República Democrática e as mortes violentas de políticos
  Em um ano eleitoral onde já tivemos tiros contra a caravana de um pré candidato, atentado a facada em outro, e declarações de que se devia “metralhar” os adversários, podemos imaginar que estamos no pior momento de nossa democracia (ao menos em termos eleitorais). Mas uma visão histórica... Leia Mais
As eleições e o ambiente de trabalho
  As eleições estão chegando. Época de se informar e decidir qual governante melhor se enquadra em suas idéias. O voto é secreto e particular. De acordo com o Código Eleitoral, “Lei nº 4.737 Art. 2º: Todo poder emana do povo e será exercido, em seu nome, por mandatários escolhidos, direta e... Leia Mais
A LITERATURA DE CORDEL COMO POSSIBILIDADE DE AMPLIAÇÃO DE HABILIDADES NOS PROCESSOS DE AUTORIA
          THE LITERATURE OF TWINE AS A POSSIBILITY OF EXPANSION OF SKILLS IN THE PROCESSES OF AUTHORSHIP   Kétarine de Matos Gomes¹ Jordelina Beatriz Anacleto Voos ²   RESUMO - O presente artigo é resultado do processo de estágio curricular supervisionado obrigatório que faz parte da... Leia Mais
NINGUÉM QUER SER PROFESSOR... POR QUE A REJEIÇÃO?
          Fui entrevistado esta semana. Uma repórter me escreveu, querendo minha opinião sobre os dados de uma pesquisa, que revela que 49% dos professores entrevistados não recomendam a profissão. Outros 33% estão totalmente insatisfeitos com a carreira. Pensei, pensei e respondi:            ... Leia Mais
prev
next

Carga horária máxima de 44 horas e fim do contrato por “Termo”

Joinville - A lei Complementar nº 481, publicada em 20 de julho de 2017, concedeu reajuste de 4% nos vencimentos, gratificação, estabeleceu carga horária máxima de 44 horas semanas e decretou o fim do contrato “por Termo” para os professores da rede municipal de ensino.
Além do reajuste de 4% (1% ao mês, de agosto a novembro) a Lei determinou o cumprimento de carga horária máxima de trabalho de 44h semanais e o fim da contratação de professores efetivos para substituição por “Termo”.
Os 2322 professores efetivos, mesmo que tenham carga suplementar, poderão ter carga horária máxima semanal de 44 horas. A medida já estava prevista no Art. 42, do Estatuto do Servidor e agora foi regulamentada e implementada.
As modificaçõess iniciadas no mês de agosto pela Secretaria de Educação atingiram 250 professores efetivos, que trabalhavam com 269 contratos por “Termo”, uma antiga reivindicação da categoria.

O valor da hora/aula suplementar foi estipulado de R$ 15,59 sem a incidência de outros acréscimos. Os 250 professores do quadro do magistério que tiverem interesse em continuar ministrando aulas excedentes, já estão recebendo estas aulas como carga suplementar.
A principal vantagem é que estes professores terão os mesmos benefícios dos 134 ACTs com contrato pela CLT e não terão as faltas por tratamento de saúde descontadas.
Segundo o Secretário Roque Mattei, a medida resultou de acordo com o Sindicato e é mais uma maneira de melhorar as condições de trabalho dos profissionais da Rede.
A medida se soma a outras implementadas recentemente. No início do ano, foi autorizada a prorrogação, até o final do ano letivo, dos contratos de professores ACTs que atuam em sala de aula, mesmo que o período do contratação exceda os dois anos. A implantação de hora-atividade para os professores da educação infantil gerou mais de 100 vagas para professores efetivos.

Encontre-nos Facebook

Please publish modules in offcanvas position.