Jornal da Educação - JE ISSN 2596-223X - online -

Jornal da Educação-JE ISSN 2237-2164   impresso

Ensino fundamental de nove anos é referência nacional (Edição 2007)

     A rede municipal de educação de Indaial vem discutindo o EF de nove anos desde 2001, sendo que em 2002, iniciou o processo de adaptação das escolas ao novo sistema. A partir de 2003, as escolas municipais iniciaram os trabalhos na organização dos ciclos de formação. Desde então, os alunos são organizados em três ciclos de formação.

     O primeiro ciclo, caracterizado como o da infância, compreende as turmas de seis, sete e de oito anos. Os pré-adolescentes reunidos em turmas de nove, dez e onze anos formam o segundo ciclo. Os adolescentes são agrupados em turmas de 12, 13 e 14 anos, as classes organizadas do terceiro ciclo e totalizando, portanto, os nove anos de Ensino Fundamental.

 

Avaliação diferenciada


     A avaliação do aluno é diferenciada na organização por ciclos. Primeiramente, porque o registro descritivo nas turmas do primeiro ciclo, incluem a participação da professora referência (pedagoga) da turma e também dos professores de Artes, Inglês e Educação Física, momento de troca especial entre os profissionais que atuam com o mesmo aluno.

     No segundo ciclo, também há professora referência e professores de Artes, Educação Física e Inglês, mas a avaliação passa a ser quantitativa com parecer descritivo. Ou seja, o aluno inicia um processo de adaptação à avaliação tradicional.
Já no terceiro ciclo, a organização das turmas é por áreas do conhecimento e disciplinas específicas, sendo a avaliação quantitativa e algumas escolas optaram em trabalhar com parecer descritivo em anexo.

     Das treze escolas municipais de EF, onze estão organizadas por ciclo de formação e duas optaram em continuar trabalhando no sistema seriado, nestas a turma de seis anos é denominada de pré-alfabetização.

     Além dos professores, cada escola possui uma coordenação de ciclo que tem como função articular os professores e auxiliar no trabalho pedagógico. Há ainda o professor de apoio que trabalha com os alunos com dificuldade de aprendizagem.

     As escolas organizam oficinas pedagógicas por área de aprendizagem, por interesse, por dificuldade de aprendizagem etc

     Nestas oficinas, os alunos podem interagir com colegas de turma, os estudantes dos demais ciclos e com outros educadores ensinando e aprendendo ao mesmo tempo.
 
Modelo nacional

     Em decorrência de leis federais que tornaram obrigatório o Ensino Fundamental de nove anos em todo o Brasil, o sistema da rede municipal de Indaial tornou-se referência nacional porque já trabalha com EF de nove anos desde 2003, quando passou a organizar o EF em três ciclos de formação, cada um com três anos.
Vale ressaltar, entretanto, que as discussões e estudos para viabilizar a proposta vinham acontecendo desde 2001.

     Desde a publicação das leis federais números 11.114, de maio de 2005 e 11.274, de fevereiro de 2006, a Secretária da Educação recebeu vários convites para apresentar sua proposta em seminários, dentre eles num Fórum de Secretários Estaduais de Educação e no Encontro Nacional de Secretários Municipais de Educação, ambos em Brasília.

     Além destes eventos, a proposta foi apresentada em reuniões de Secretários de Educação e no Fórum Estadual da Educação Infantil.
Indaial também recebeu visitas de equipes de mais de 40 municípios  conheceram o  funcionamento do Ensino Fundamental de Nove Anos. Estudantes do curso de Pedagogia da UDESC-Florianópolis também visitaram as escolas em 2006.