Jornal da Educação - JE ISSN 2596-223X - online -

Jornal da Educação-JE ISSN 2237-2164   impresso

Ensino da leitura da rede municipal é exemplo para todo o país


Garuva – A rede municipal de Garuva é uma das nove, de todo o país, integrantes do projeto Melhores Práticas no Ensino de Leitura- séries iniciais. As cidades foram selecionadas entre as 200 com melhor desempenho na habilidade de leitura nas provas do SAEB/Prova Brasil de 2005 a 2009.

 
A leitura é parte da vida dos alunos. Há uma efetiva dedicação e amor pelo que se faz, o que resulta na construção do sujeito leitor. 

As ações de ensino de leitura destas cidades foram pesquisadas e relatadas em um livro bilingue (português/Inglês) e num vídeo. O lançamento do livro, que será distribuído para escolas de todo o Brasil e América Latina, acontecerá nas próximas semanas.
O Projeto propôs o estudo de caso das redes municipais, preferencialmente de cidades com mais de dez mil habitantes, que, tenham também, obtidos bons índices de aprovação no IDEB.
 Na região Sul, as cidades de Gavura (SC) e São João (PR) foram as únicas participantes da pesquisa. As demais cidades foram Itapaci (GO), na região Centro-Oeste e seis municípios são da região Sudeste, todos do estado de Minas Gerais: Lajinha, São Tiago, Itamogi, Piumhi, Patos de Minas e Paulo Cândido.
Para produzir o livro e o vídeo, pesquisadores da Abaquar Consultores, com o apoio do Instituto Natura e Patrocínio do Programa Crer para Ver, visitaram os municípios e acompanharam a rotina de professores e alunos em 2011.
A análise das metodologias de ensino de leitura se deu pela triangulação, na investigação in loco, de observação, entrevistas (gestores, supervisores, professores, pais e alunos) e análises de materiais pedagógicos.
Disseminar boas experiências
O objetivo da pesquisa foi registrar as práticas pedagógicas de ensino de leitura bem sucedidas, registrando-as para disseminá-las, para que outros professores, considerados os principais agentes do processo, possam aplicá-las em suas salas de aula.
Além disso, o Instituto Natura pretende contribuir para a melhoria de qualidade do ensino no Brasil e na América Latina e para a redução das desigualdades no ensino da leitura.
“Todos os professores, todos os gestores (secretárias, supervisoras, diretoras de escolas etc) estão empenhados na formação desse cidadão. Nós verificamos também que além do comprometimento, há muito amor pelo que se faz. Há um envolvimento verdadeiro e uma busca por saídas para todas as dificuldades que existem. Há diálogo. Os professores são valorizados, não só nas questões financeiras, porque muitas vezes isso é impossibilitado porque o município é pobre, mas há uma valorização do trabalho que o professor faz, porque ele tem a dizer. Essa valorização se estende também ao estudante, porque ele é um sujeito participativo na escola. Há uma preocupação de envolvimento da família na leitura. A família é chamada a ler com a criança. E principalmente, muita vontade de fazer dar certo”, registra Gisele Gama Andrade, uma das coordenadoras do projeto, no vídeo que pode ser assistido na internet: http://www.youtube.com/watch?v=uFwtDY8peT4).
Atividades de apoio
Outras ações percebidas pelos pesquisadores como importante para obter tão bons resultados em Garuva foram a preocupação em formar cidadãos autônomos, trabalhar a cultura, apresentar para as crianças todas as formas de artes, a dedicação e o amor pelo que fazem os profissionais da educação, a formação continuada, eventos de incentivo à leitura e a leitura como parte da rotina diária das crianças.
A organização da escola e das atividades escolares, que leva as crianças a desenvolverem métodos de estudo, as parcerias com a comunidade, a preocupação com a merenda e o transporte escolar, o atendimento personalizado aos estudantes com baixo desempenho e a inclusão de todos no contexto social e escolar, bem como a preocupação com a segurança do estudante não somente na escola, mas no trajeto casa escola, são outros aspectos positivos.
Professores e gestores efetivamente preocupados e envolvidos com a qualidade do ensino e até a variedade da merenda escolar com a inclusão de frutas, legumes e verduras frescas oriundos dos produtores locais e das próprias hortas de algumas escolas, são outras atitudes que auxiliam no ensino da leitura para os garuvenses.
O cantinho da leitura, a mala da leitura ou biblioteca móvel, as visitas à feiras de livro e projetos como o sacola da leitura em que os alunos levam para casa livros e cadernos para que os pais leiam juntamente com os filhos, foram alguns dos projetos especificamente voltados aos desenvolvimento da habilidade da leitura, registrados pelos pesquisadores no livro e no vídeo.