Jornal da Educação - JE ISSN 2596-223X - online -

Jornal da Educação-JE ISSN 2237-2164   impresso

Dificuldades para usar computadores no ensino

São Paulo - O Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br) divulgou, no dia 19 de julho, os resultados da II pesquisa das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC), produzida pelo Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto Br. 

Os dados da pesquisa mostram que 93% das escolas públicas urbanas têm acesso à internet, porém a grande dificuldade que as instituições enfrentam é a "usabilidade" da ferramenta.

Apesar de ser um número expressivo, é necessário que se pense até que ponto é uma ferramenta usual, já que muitas dessas escolas tem apenas um computador na sala do diretor. E as pessoas podem ter essa tecnologia em casa, mas podem não saber usar.

O estudo analisou 650 estabelecimentos educacionais, com 500 alunos em média, sendo 497 escolas públicas e 153 particulares, que entraram nessa amostra pela primeira. As escolas federais não fazem parte do estudo.

Os analistas da pesquisa questionaram, "de que adianta a conquista da tecnologia nas salas de aula se, concomitantemente, não se pode aproveitá-la e se, ao invés de ajudar no ensino, gera desgaste do educador e do aluno?"

O estudo detectou também que muitos computadores permanecem em caixas fechadas nas escolas porque os professores não sabem como usá-los e não querem ter mais coisas uma coisa a aprender.

Há ainda salas ou laboratórios de informática com os equipamentos instalados, mas a escola não acessa o site do MEC para cadastrar a senha que é necessária para se ter acesso ao conteúdo do MEC ou ainda o modem não é adequado e não possibilita a conexão com a barda larga.

As razões são muitas, E o resultado um só, os alunos não saem da escola e não aprendem que o computador é um aliado na aprendizagem e continuam pensando que deve ser usado somente para joguinhos ou para acessar às redes sociais para conversar com os amigos.

Ou seja, a tecnologia, ao invés de aproximar, pode afastar o professor do aluno, comprometendo a humanização no ambiente escolar, que é base de toda educação.