Jornal da Educação - JE ISSN 2596-223X - online -

Jornal da Educação-JE ISSN 2237-2164   impresso

Professores não ministram o conteúdo curricular

São Paulo - Pesquisa revela que 75% dos professores que dão aula para alunos do 5º ao 9º ano do Ensino Fundamental da rede pública brasileira desenvolvem menos de 80% do conteúdo que deveria ser trabalhado em cada série escolar.

Os dados foram levantados por meio de um questionário da Prova Brasil 2009 ─ exame federal que avalia a qualidade da educação pública ─, ao qual responderam 216.495 docentes de instituições públicas de todo o país que dão aulas para alunos dessas séries.

Na edição da Prova 2009, apenas 34,2% dos alunos apresentaram conhecimento de português adequado após concluir o 5º ano. Já em matemática, o índice foi menor, de 32,5%. Depois da conclusão do 9º ano, o rendimento piorou ainda mais: somente 14,7% dos estudantes avaliados sabiam o mínimo em matemática e 26,2%, em português.

Não é justo, porém, responsabilizar somente o professor por não cumprir o conteúdo programado. Essa falha reflete problemas complexos da educação brasileira, como a formação deficiente dos docentes, a falta de acompanhamento pedagógico da escola e, principalmente, a necessidade de se criar um currículo que priorize os conteúdos elementares.

Algumas editoras, de olho nos números, desenvolvem materiais didáticos para ajudar o professor na sua tarefa de ensinar, tanto nas escolas públicas quanto nas privadas.

Com o material didático estruturado, o trabalho em sala de aula e com orientação constante ao professor que precisa tomar decisões direcionadas ao aprendizado, bem como com o emprego de metodologias ade-quadas, a tendência é o professor conseguir trabalhar de forma mais adequada os conteúdos curriculares.

De acordo com Francisca Paris, pedagoga, mestra em educação e diretora de serviços educacionais do Ético Sistema de Ensino, da Editora Saraiva, um sistema estruturado de ensino não se resume a apostilas. "O sistema configura-se como um conjunto de soluções, como material didático, tecnologias educacionais, portal educativo, formação de professores, avaliação e acompanhamento da aprendizagem do aluno, entre outras, que, juntas, resultarão em melhor desempenho escolar", afirma ela.

"É claro que não se pode construir conhecimento sem a formação dos conceitos envolvidos. Por isso, é importante ressaltar a importância dos conhecimentos prévios trazidos para a sala de aula e também de relacioná-los com o dia a dia dos estudantes.