Jornal da Educação - JE ISSN 2596-223X - online -

Jornal da Educação-JE ISSN 2237-2164   impresso

No Colégio Santos Anjos livros inspiram homenagem às mães

     Joinville – No ano em que completa o Centenário de fundação, o Colégio dos Santos Anjos mantém entre suas políticas pedagógica a de entrelaçar os conteúdos curriculares a seu programa institucional de incentivo à leitura.

     Nesta linha de atuação, os livros são mais do que fonte de conhecimento e lazer, servem inclusive como inspiração para preparar as datas comemorativas. Os livros são
uma base sólida e infinita de possibilidades de atividades didáticas e pedagógicas e especialmente úteis para a inserção dos temas transversais ao cotidiano escolar.

     A preparação para a homenagem às mães teve início já no mês de março e a leitura esteve presente em todas as fases da preparação dos estudantes da Educação Infantil ao Ensino Fundamental.

Minha mãe é um estrela

     No dia 9 de maio, no período noturno, os alunos do ensino fundamental apresentaram às mães um musical inspirado no livro “Uma estrela para minha amiga”. Durante as aulas de educação física, artes e dança, os alunos, sob a orientação das professoras e professores, aprenderam coreografias, prepararam os figurinos e escolheram as músicas.

     Um texto registrando “porque minha mãe é uma estrela” foi produzido durante as aulas. No dia da homenagem foram fixados em biombos e, após a apresentação do musical, mães e filhos foram localizar o texto juntos.

     O que se viu na seqüência foram beijos, abraços apertados, olhares penetrantes, sorrisos, emoção, nós na garganta, outro abraço, outro beijo... Afinal, como registrou
Karl Konstantin Knüppel no primeiro jornal de Joinville, em 1852:

    “Não existe, efetivamente, nada mais interessante no mundo – nem mesmo para o mortal mais sábio e mais humilde – do que ler algo a respeito de sua pessoa”.

     Ao mesmo tempo em que produziram os textos em sala de aula, os estudantes foram desvendando e registrando o diferencial da própria mãe, a mulher que está presente em todos os momentos de suas vidas, valorizando o relacionamento
familiar, o papel da mulher na sociedade e descobrindo que o respeito às diferenças é o grande e principal requisito da convivência em família e na sociedade.

Família, beijo, amor... Mãe

     Na Educação Infantil os livros são um dos principais elos de ligação entre o mundo real e o de faz-de-conta que possibilita estudar o conteúdo curricular sempre conectado com a realidade da criança.

     Os temas geradores precisam ser propostos de forma lúdica e na maioria das vezes, os livros de literatura infantil dão conta de suplantar a dificuldade da concretização dos temas propostos no currículo escolar, especialmente as datas comemorativas.

     As professoras da Educação Infantil e do 1oAno do Ensino Fundamental de nove anos (que no Santos Anjos continua no mesmo espaço físico destinado aos pequenos e onde a brincadeira é parte integrante das atividades diárias), as professoras usam a literatura como fonte principal de atividades.

     O Dia das Mães foi usado principalmente para efetivar atividades e vivências que possibilitaram trabalhar valores como a importância da família, o respeito, a paciência, o amor, a dedicação, o afeto, o reconhecimento e a responsabilidade de se homenagear a Mãe.
     Durante o mês de abril, em cada turma, foram sendo trabalhados livros como O Beijo, de autoria de Valérie D‘Heur; Macaco Danado, de Júlia Donaldson e Alex Scheffler; Se as Coisas Fossem Mães, de Sylvia Orthof; Tudo bem ser diferente, de Todd Parr; e Qual a Cor do Amor? de autoria de Linda Strachan e David Wojtowycz. A Lenda do Girassol e as músicas “Madalena”, de Ivan Lins e “Pra Ela”, de Netinho
também foram estudadas e temas de homenagens às mães.

     Inicialmente os livros foram lidos para as crianças. Em seguida desenvolvidas atividades como interpretação e dramatização das histórias, canto e criação de músicas, formação de uma banda montada com os instrumentos musicais
que cada um tivesse em casa, dança, oração, depoimentos, muita conversa sobre valores, diferenças físicas e espirituais, aceitação do outro, diferentes tipos de mães e de famílias, discussão e, principalmente, muita aprendizagem por meio do faz-de-conta.

     No dia 10 de maio, um vídeo reproduziu num telão algumas das atividades, mostrando a caminhada percorrida até a “grande noite”, como parte da homenagem às mães.

     Entretanto, o momento mais tocante foi o final, o reencontro entre mãe e filho já na sala de aula.

     “O momento foi ainda mais especial, porque todas as mães puderam assistir às apresentações integralmente e sem tumulto.

     Planejamos as apresentações de modo a evitar aquela correria para pegar o filho, logo após cada apresentação. Após se apresentarem, as crianças acompanhadas pela professora, saiam por trás do palco e seguiam para a sala de aula, sem que o público percebesse. Durante as apresentações, pedimos às mães que ficassem até o final no auditório, porque haveria uma grande apresentação final, que foi, na verdade,
na sala de aula, onde os filhos aguardavam as mães com um grande abraço e o presente preparado em sala de aula”, explicou a coordenadora pedagógica da Educação Infantil, Zilda Maria Dudy.
     As homenagens para as mães da Educação Infantil e do Ensino Fundamental foram inspiradas em obras literárias e músicas.