Jornal da Educação - ISSN 2237-2164

Reportagens Especiais

Arte, natureza e pais se unem a CEI para incentivar à leitura

  

Monteiro Lobato e seu Sítio do Pica-Pau-Amarelo  inspiram o projeto institucional de incentivo à leitura do CEI Raio de Sol, de Joinville.

 

"Uma boa história nos encanta e nos desperta muitas emoções", argumentou a diretora do CEI Raio de Sol, Marlene T. Z. Malschitzky, ao descrever as razões que levaram ao projeto institucional de incentivo à leitura, Vivenciando a literatura através da natureza.

Ao longo do ano, as atividades pedagógicas unem arte, natureza, literatura e os pais em torno de metas e objetivos comuns o que resulta em melhorias no espaço físico e na aprendizagem de todos.

Durante a primeira semana de outubro, familiares e comunidade em geral conheceram o resultado do próprio trabalho e dos trabalhos das crianças e professoras.

Entre as ações concretas que contaram com a participação efetiva da comunidade e especialmente dos pais, a revitalizar a Praça de Leitura e a criação do Jardim das Borboletas.

Emoção e muita interação entre o CEI, pais e filhos, livros e leitores foram algumas das vivências durante a exposição e as apresentações dos trabalhos culturais.

Literatura une gerações

Despertar e incentivar o gosto pela leitura e desenvolver, nas crianças, o princípio estético por meio da beleza e da sensibilidade são os grandes objetivos do projeto pedagógico da unidade escolar. Este ano, a escolha recaiu sobre Monteiro Lobato e seu Sítio do Pica-Pau-Amarelo porque as histórias fazem parte também da infância dos pais, especialmente por meio da televisão. E esta é uma das estratégias para envolver mais os familiares na aprendizagem dos pequenos e unir as duas gerações por meio da leitura.

"Assim, as vivências contribuíram para o resgate de história contadas e ou vivências pelos adultos das famílias",registrou a coordenadora Carmen Lúcia Franco.

Enfoque para cada turma

Os estudos tiveram início com a leitura do livro Reinações de Narizinho. Após a leitura, cada turma escolheu um personagem para conhecer melhor e apresentar aos colegas das demais turmas.

Em seguida, cada turma escolheu um gênero ou portador textual para conhecer e trabalhar. Sempre atendendo às necessidades de aprendizagem e o desejo de cada grupo. As professoras, por meio de observação, detectaram temas de interesse das crianças para desenvolver o projeto concreto de artes, interagindo arte com a natureza e a preservação ambiental.

Arte e leitura

As turmas do maternal das professoras Tatiana J. Schmidt e Juliana S. Veira trabalharam com poesias, parlendas e rimas e se dedicaram à revitalização da "Praça de leitura", inaugurada no dia 2 de outubro.

Construíram sofás, pufes, uma cortina e porta livros e revistas com garrafas pet e caixas de leite. Nas garrafas da cortina, há textos de diversos gêneros que também podem ser lidos pelos pais e pelos alunos.

A praça ganhou também uma mesa, feita com um carretel de madeira usado pela CELESC para os fios. A decoração da mesa é inspirada nas borboletas da poesia de Vinícius de Moraes e nas obras de arte de Romero Brito,

O espaço que abrigava jornais, informativos e um baú de livros para os pais, foi remodelada para ser um espaço também para as crianças. Além dos móveis e da nova decoração, ganhou uma mala decorada com gibis velhos e bolsinhas para organizar os livros. As almofadas foram pintadas no estilo do artista plástico brasileiro Romero Brito.

Borboletas pela janela

As turmas da professora Maria Irene P. da Silva desenvolveram o projeto "Fazendo poesias com coisas e palavras". Leram poemas, parlendas e envolveram-se com as rimas. Inspirados no poema de Cecília Meireles "Leilão de jardim", criaram a poesia "O jardim das flores".

O desejo dos pequenos do 2º período era ver pela janela da sala de aula as borboletas nas flores. A opção, então, foi construir o Jardima das Borboletas. A turma construiu um jardim suspenso usando vasos de barro, materiais reaproveitados e muita criatividade.

Em artes, conheceram a obra da artista impressionista moderna Raquel Taborelli e confeccionaram com papel machê os animais que aparecem na poesia e com eles, lindas telas.

A construção do jardim contou com a ajuda do avô do aluno Gustavo Z. Giugno (1ºMat.) o voluntário Orlando Zimmermann que fez as lajotas que foram sendo decoradas pelas crianças com pedras e delimitou os canteiros com os corpos de prova (material de descarte de construção). As crianças pintaram os vasos e os corpos de prova, e decoraram as lajotas com pedras coloridas. No jardim, pode ser lida também a poesia "Leilão de jardim" , de Cecília Meirelles.

Poetas e artistas

A Professora Mikaela Tavares e suas turmas de segundo período mergulharam na história do Sítio do Pica Pau Amarelo, no projeto Uma viagem fantástica pelo Sítio do Pica Pau Amarelo. Ao mesmo tempo em que as crianças ouviam as histórias do Sítio, conheceram e revisitaram outras histórias, desenvolvendo habilidades para que cada criança se tornasse um novo autor.

Fizeram fantoches de vara, de papel e tecido; confeccionaram papéis, caixa de história, criaram histórias coletivas e encenaram nos momentos de brincadeira. O teatro apresentado como produto final aos pais constituiu-se num desafio, pois trabalhou com sequência de enredo, texto oral, desenvoltura e poesia.

Dramatização

Ao contar a história do Sítio, a professora Claudia Regina da Silva Schmidt observou o interesse das suas turmas de segundo período por animais de um modo geral. A partir desse interesse, cantou a música Arca de Noé e construiu alguns animais reaproveitando alguns materiais descartados.

A professora Joseane Helena Schulz, com suas turmas de primeiro período, dedicou-se às brincadeiras que os avós podem ensinar a seus netos. Estas brincadeiras tradicionais foram vivenciadas pelas crianças. Alguns brinquedos foram construídos pelas crianças com materiais descartáveis

Janaina A.S. Schluter desenvolveu o projeto da história cumulativa, na qual os personagens vão aparecendo aos poucos. No evento, sua turma apresentou a história um grande rabanete.

A arte foi o eixo norteador para trabalhar também o meio ambiente e a pluralidade cultural. Os projetos contemplaram a leitura de vários gêneros, em diferentes momentos e espaços do CEI. A proposta resultou numa mostra cultural dos trabalhos estudados, com a apresentação das crianças em forma de teatro e recital de poesias para a comunidade.

Please publish modules in offcanvas position.