Jornal da Educação - JE ISSN 2596-223X - online -

Jornal da Educação-JE ISSN 2237-2164   impresso

Reportagens

Por que o cachorro morde?

Massaranduba – Durante o mês de agosto, as crianças do maternal II do CEI Hulda Cardoso foram envolvidas no projeto O Cachorro. Trabalhado em conjunto pelas professoras Maria do Carmo Jacobi, Bruna C. Mohr, Juliane Morsch e Veronita T. Martendal.
 
 

A decisão pelo tema “Por que o cachorro morde?” surgiu após um passeio da turma pela cidade, em que as crianças, ao deparar-se com um cão, apresentaram medo de seu latido.
As atividades buscaram então sensibilizar e estimular nos pequenos a afetividade pelos animais, em especial, pela espécie canina.
As crianças, com ajuda dos pais, responderam a um questionário sobre os cachorros. Em sala de aula, participaram de uma roda de conversa sobre o tema.
Também foram utilizadas músicas e danças para estimular os trabalhos com o corpo e seus movimentos, atividades fundamentais para a idade. 
Até um mascote apareceu nas salas de aula. A professora Márcia R. Martini levou seu animal de estimação, uma cachorra chamada Belinha, para que as crianças pudessem ter contato e reduzir o medo.
No início, as crianças apenas observaram os movimentos do animal, parecendo um pouco surpresas e ansiosas com sua presença.
“Fizemos uma roda de conversa com a professora Márcia, que contou um pouco do dia a dia de seu animal de estimação e quando percebemos lá estavam as crianças acariciando e conversando com a Belinha”, registra a professora Maria do Carmo F. Jacobi.
Em seguida foi construída a “Belinha” de pano, que acompanhou os pequenos até o final do projeto.
As atividades foram finalizadas com uma exposição de cães de pelúcia, cerâmica, gesso ou plástico, levados pelas crianças.
Uma casinha de papelão foi confeccionada para abrigar os “novos visitantes” da unidade escolar.
“No final deste projeto podemos constatar que nosso objetivo de estimular a afetividade entre animal e criança foi alcançado, já que a maioria das crianças tiveram um contato direto demonstrando mais segurança e tranqüilidade”, finaliza a professora.
 
As atividades buscaram o desenvolvimento da criatividade, imaginação, observação e respeito entre criança e animal.