Jornal da Educação - JE ISSN 2596-223X - online -

Jornal da Educação-JE ISSN 2237-2164   impresso

Reportagens

Grupo de contação apresenta manifesto contra a corrupção

     Joinville - A campanha "O que você tem a ver com a corrupção", projeto do Ministério Publico de Santa Catarina, para conscientizar a sociedade, especialmente crianças e adolescentes, de que a corrupção está em todos. E mudar a atitude visando à pratica da honestidade e transparência em todas as atitudes, na Escola Municipal Pauline Paruker, ganhou o reforço do grupo de contação de história Era Uma Vez, formado em 1999. 

     Modificar atos rotineiros que contribuem para a formação do caráter e mostrar que a corrupção não está somente no Congresso e nos políticos, mas em nosso dia-a-dia são alguns dos objetivos da canpanha que surgiu em Chapecó no ano de 2004 e teve lançamento estadual em 2007.

     As Secretarias de Estado Regionais ficaram encarregadas de distribuir o material, inclusive o audiovisual, às escolas de sua área de abrangência.

     Cada escola utiliza o material de acordo com a sua metodologia. A campanha de 2007 será finalizada com um concurso entre as escolas, na qual serão selecionados três melhores projetos de combate à corrupção desenvolvidos pelas escolas.

     O professor de Ensino Religioso, Leovaldo Dutra da Silva trabalhou o tema com as 7as séries. O objetivo foi mudar a visão distorcida de que a corrupção estava apenas no Congresso e nos políticos; e mostrar que a responsabilidade e honestidade não estão só nas mãos dos adultos, mas também das crianças.

     O primeiro passo foi pedir aos alunos que escrevessem o conceito de corrupção. Após assistirem ao vídeo da campanha, O que você tem a ver com a corrupção? o professor coordenou uma conversa com os alunos perguntando sobre a visão sobre corrupção e constatou que muitos haviam mudado o conceito e percebido que a corrupção também pode estar perto de nós, em nossas casas e na escola.

     Em seguida, os alunos comprometeram-se em multiplicar esse novo conceito de corrupção para seus pais e amigos, mostrando como podemos combater a corrupção que está muito perto de nós.

     O professor de Geografia, José Pezenti, usou a mesma metodologia com as 6as e 8as séries. Mas optou por fazer um debate antes e outro, depois do vídeo. Após a discussão, solicitou aos alunos que expusessem as suas idéias em forma de redação, frase ou desenho. “No segundo debate, os estudantes demostraram um nível maior de consciência de  que a corrupção está em todos nós”, garantiu.

  

                                                                  Abraçando o projeto

 

     O grupo de contação de histórias da escola Era Uma vez abraçou a campanha e apresentou o texto Só de Sacanagem, escrito por Elisa Lucinda, aos colegas da 5ª à 8ª série.

     A contação acontece na escola desde 1999. Atualmente, o grupo formado por 13 alunos da 8ª série, sob a orientação da responsável pela biblioteca Caroline  e da professora de atividades complementares Cleide B. A. Costa, decidiu apresentar aos colegas o manifesto sobre corrupção, reforçando o conceito aprendido em sala de aula.

     Com blusa preta, nariz de palhaço e com o mapa do Brasil pintado no rosto, o grupo demonstrou tristeza com a corrupção na política, nas empresas e até mesmo nas escolas.

     "O nariz é para representar o papel de palhaço que o povo está fazendo, diante de todas essas atitudes corruptas", comentaram os membros do grupo.
Na apresentação, além do texto da Elisa Lucinda, o grupo apresentou as músicas Brasil Corrupção (Unimultiplicidade), da Ana Carolina e Brasil, de Cazuza.

     Os alunos da 5ªsérie que não discutiram o tema em sala, assistiram em silêncio à apresentação. Além de reforçar a discussão do tema e de transmitir para os colegas uma mensagem de protesto, os integrantes do grupo Era Uma Vez, garantem que a partir do estudo em sala e da apresentação, agirão com mais consciência, e que, estão convictos de que como alunos mais velhos da escola, têm que dar o exemplo aos demais.