Jornal da Educação - ISSN 2237-2164

Reportagens

Não tem dinheiro para pagar a faculdade?

A falta de dinheiro já não é justificativa para deixar de fazer uma faculdade. Afinal, as universidades públicas, como a UDESC e a UFSC são gratuitas e têm reserva de vagas para os estudantes advindos de escolas públicas.  Para estudar nas universidades públicas, não é preciso pagar mensalidade. Além disso, o governo federal oferece bolsas para iniciação científica e financiamento para moradia e compra de material didático. 
Já as instituições particulares, em sua quase totalidade, estão cadastradas nos Programa Universidade para Todos - o PROUNI e no FIES, ambos programas de financiamento do governo federal. As instituições comunitárias e as do Sistema Acafe contam ainda com as bolsas do Artigo 170, do governo do estado e a maioria oferece ainda descontos especiais, bolsas de estudos e financiamento próprio.

PROUNI
Só pode se candidatar ao ProUni, referente ao primeiro semestre de 2009, o estudante que tiver participado do Exame Nacional do Ensino Médio - ENEM de 2008 e obtido a nota mínima de 45 pontos (média aritmética entre as provas de redação e conhecimentos gerais). Não são consideradas as notas obtidas nos ENEMs anteriores.
Os resultados do ENEM são usados como critério para a distribuição das bolsas de estudos, isto é, as bolsas são distribuídas conforme as notas obtidas pelos estudantes no ENEM. Assim, os estudantes que alcançarem as melhores notas no exame terão maiores chances de escolher o curso e a instituição em que desejam estudar, em todo o Brasil.
O estudante de escola pública que obteve média superior a 45 no ENEM e tiver renda familiar por pessoa, de até um salário mínimo e meio (R$ 622,50) poderá concorrer a uma bolsa integral. Se a renda familiar for maior que R$ 622,50 e menor ou igual a três salários mínimos (R$ 1.245,00) o estudante poderá concorrer a uma bolsa parcial de 50%. Além da bolsa, o estudante pode pedir, depois que estiver cursando a faculdade, auxílio financeiro para moradia ou compra de material didático e livros.  
O programa é destinado também aos portadores de necessidades especiais e professores da rede pública de ensino fundamental ou médio. A lista completa das instituições participantes do ProUni e demais informações aos candidatos, estão na página eletrônica do MEC (http://www.mec.gov.br/prouni.)    

 

Bolsas e financiamento

Quem  não atender às exigências para concorrer à bolsa do PROUNI ou optar por estudar em faculdades ou universidades não credenciadas no programa, como UNIVILLE, a UNERJ e a FURB, podem recorrer ao financiamento estudantil das próprias instituições, do governo federal (FIES) ou a bolsas de estudos do governo estadual (artigo 170), de prefeituras ou das próprias universidades.
O Estado de Santa Catarina oferece bolsas de estudos, por meio do artigo 170 da Constituição do Estado, aos catarinenses que não podem pagar as mensalidades das universidades particulares. A seleção e o repasse das verbas são feitos diretamente às universidades e os contemplados devem prestas serviços comunitários em troca da bolsa. Os acadêmicos são beneficiados de acordo com os repasses de verba e o índice de carência. Mais informações sobre o Artigo 170 www.ampesc.com.br/artigo170
A maioria das 20 instituições de Ensino Superior da região oferecem algum tipo de bolsa de estudos ou financiamento próprio de estudos. Há bolsas trabalho, estágio remunerado em empresas públicas e privadas e até financiamento parcial ou integral das mensalidades que serão pagas sem juros, após a conclusão do curso. Para detalhes destes financiamentos verifique o quadro na página 14.  edição. 
FIES - É um programa do Ministério da Educação (MEC) destinado ao financiamento estudantil para os acadêmicos economicamente carentes, com uma taxa de juros baixa e facilidades no pagamento.
Desde 2005, o FIES passou a conceder financiamento também aos estudantes selecionados pelo PROUNI  para recebimento da bolsa parcial de 50%, regularmente matriculados em cursos de graduação em faculdades cadastradas junto ao governo federal e estadual. Mais informações no site: http://www3.caixa.gov.br/fies


Vestibular

Os secundaristas têm, além do vestibular tradicional, outras opções de acesso. As instituições particulares estão diversificando seus processos seletivos que vão desde provas de redação, até provas pré-agendadas ou on-line.
A maioria das universidade, inclusive as da ACAFE, reservam parte de suas vagas para o acesso com as notas do ENEM.  As inscrições são feitas  em períodos específicos e normalmente não há cobrança de taxa.  A classificação é feita considerando-se as maiores médias.
Diversos processos seletivos especiais são efetivados nas faculdades para ocupar todas as vagas oferecidas.
Cada escola realiza os próprios seletivos e uma visita às páginas eletrônicas é o melhor meio para aproveitar as datas de inscrição.  

Please publish modules in offcanvas position.